Rua Treze de Maio, 22-50, Bauru-SP   (14) 3234-7745   contato@visaohospital.com.br
Blog
abr 25

Os seus olhos tremem? Você pode ter blefaroespasmo

Você em algum momento já percebeu os seus olhos tremendo e se perguntou o que poderia ser? O blefaroespasmo é uma condição ocular que se manifesta através de um tremor na pálpebra, causado pela contração involuntária do chamado músculo orbicularis.

Na maioria dos casos, como veremos a seguir, esses tremores ocorrem apenas devido ao estresse ou cansaço, porém em casos persistentes é importante dar maior atenção.

Saiba mais sobre blefaroespasmo, suas causas e tratamentos lendo o nosso artigo completo. Boa leitura!

Blefaroespasmo: o que é?

O blefaroespasmo ou blefaroespasmo essencial benigno (BEB) é uma condição caracterizada por compressões ou espasmos descontrolados das pálpebras. Essas contrações podem deixar a vista mais irritada, ressecada e a produção lacrimal prejudicada.

Essa condição costuma surgir após os 40 anos de idade e afeta de uma a duas pessoas a cada 100 mil, em especial as mulheres. Pacientes que possuem esse transtorno poderão ter dificuldades para realizar atividades, como ler, assistir televisão e dirigir.

Estudos indicam relação do blefaroespasmo com o estresse, cansaço físico e psicológico, mas também com fatores genéticos ligados às doenças musculares ou neurológicas.

Principais causas

Na maioria dos casos, o blefaroespasmo é causado pelo cansaço excessivo, ansiedade, carência de vitaminas, como vitamina B, magnésio e de sais minerais, consumo exagerado de bebidas com cafeína ou álcool e exposição excessivo à tela do computador. Em alguns casos, quando acompanhada de outros sintomas, essa doença pode ser sinal de doenças neurológicas, como Parkinson e síndrome de Tourette.

Em alguns casos, o tremor nas pálpebras pode estar acompanhado de inchaço e vermelhidão, podendo ser sinal de blefarite, que é a inflamação das bordas das pálpebras.

Sintomas de blefaroespasmo

O blefaroespasmo pode manifestar-se durante algum tempo, ao longo das horas com alguns picos ou o tempo todo de forma ativa, ou seja, por dias e em alguns casos, semanas ou meses. Confira alguns sintomas que também podem surgir:

  • olho ressecado;
  • aumento na quantidade de piscadas;
  • fechamento involuntário dos olhos;
  • sensibilidade à luz;
  • irritabilidade;
  • espasmos faciais, que é quando o rosto parece tremer também;
  • e ptose da pálpebra, quando esta pele fica caída sobre o olho.

Quais os tratamentos?

O tratamento de blefaroespasmo deve ser feito de acordo com as causas subjacentes e o seu diagnóstico é feito com base em:

  • avaliação clínica minuciosa;
  • histórico detalhado do paciente;
  • e identificação de sintomas característicos.

Nos casos mais leves, onda há estresse e cansaço, a pessoa deve procurar descansar, dormir o suficiente, combater o stress ou procurar momentos de relaxamento, que na maioria dos casos, permitem resolver o problema.

Para o tratamento com medicamentos, pode ser efetuado através de prescrição de suplementos e medicamentos de acordo com a necessidade do paciente.

Quando os sintomas, como tremores das pálpebras persistem, pode ser indicado a injeção de toxina butolínica em locais específicos das pálpebras, que irá ajudar a diminuir a ação do músculo, evitando as contrações repetidas e controlando o blefaroespasmo.

Em casos ainda mais graves, normalmente é recomendado pelo médico oftalmologista o tratamento cirúrgico de miectomia, que tem como objetivo remover alguns músculos e nervos da pálpebra, pois desta forma, é possível aliviar o tremor.

Em todos os casos, o mais importante é procurar um médico oftalmologista de confiança para uma melhor avaliação e tratamentos específicos. Se você deseja agendar a sua avalição com a nossa equipe especializada, entre em contato conosco.

About The Author

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.